Usinas solares viram investimento no Brasil diante da falta de chuvas

Usinas solares viram investimento no Brasil diante da falta de chuvas

Escassez de chuvas que deixa reservatórios de hidrelétricas do Brasil em situação crítica incentiva investimentos em usinas solares de pequeno porte com geração distribuída

A perspectiva de aumento do custo da energia elétrica com a escassez de chuvas para abastecer o reservatório das usinas hidrelétricas está levando os consumidores a gerar sua própria energia, com a instalação de microusinas no sistema de geração distribuída, que permite ao cliente jogar a energia gerada no sistema elétrico e abater essa carga do seu consumo.

Apenas em um ano, o número de conexões desse tipo mais do que dobrou no país, passando de 5.040 unidades em setembro do ano passado para 16.892 atualmente, um salto de 235%. Em capacidade de geração de energia, o avanço foi de 47,9 megawatts (MW) em setembro de 2016 para 187MW agora, um aumento de 290%.

Em Minas, líder nacional na geração distribuída, o número de microusinas saltou de 1.226 em setembro do ano passado para 3.700 agora. Juntas, essas usinas de geração distribuída tem capacidade para gerar 38,5MW. Do total de usinas no sistema de geração distribuída instaladas no estado, 3,6 mil estão não área de concessão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

A geração distribuída prevê que as unidades consumidoras compensem a energia gerada nas microusinas. Mas, como os consumidores nem sempre têm espaço e capital para investir, empresas viram uma possibilidade de negócios.

A previsão da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaíca (ABSolar) é que os investimentos este ano na instalação de usinas solares cheguem a R$ 4,5 bilhões.

Related posts

Comentário ( 1 )

  • André Souza Rodrigues

    Muito bom

Deixar um comentário